Dicas de planejamento financeiro para assistências técnicas

Para fazer uma boa gestão de assistência técnica, é fundamental traçar um planejamento financeiro coerente e preciso, independentemente se a empresa é de pequeno, médio ou grande porte.

O planejamento dispõe uma base para o andamento das atividades e garante que as informações permaneçam organizadas e de fácil acesso.

A seguir, confira três dicas práticas para ajudar no planejamento financeiro da assistência técnica.

Mantenha as informações organizadas

“Se você não pode medir, não pode gerenciar” é uma das frases atribuídas a Peter Drucker, considerado um dos pais da administração moderna. Seguindo esse raciocínio, para alcançar um patamar alto na gestão de uma assistência técnica, é essencial ter uma boa organização de informações.

Isso porque, a partir de um banco de dados, é possível extrair os mais diversos tipos de informação como, por exemplo, tendências de vendas, ou descobrir quais produtos e serviços exercem mais impacto no fluxo de caixa da empresa.

Dentre os maiores aliados da gestão de assistências técnicas, os softwares de gestão de prestadores de serviços permitem organizar informações da empresa de forma prática. Você pode clicar aqui se quiser conhecer um software especializado em assistência técnica.

Gravíttem - Gerencie sua empresa com um sistema completo e eficiente

Crie uma rotina de autodiagnósticos

Na gestão de uma assistência técnica, podem ser feitas várias “perguntas frequentes” sobre o negócio. No planejamento financeiro é preciso entender como está o fluxo de caixa, qual a previsão de estoque, como estão os pagamentos de fornecedores e o gerenciamento de despesas.

Averiguar quais foram os clientes que mais compraram, os fornecedores mais pontuais e os serviços que demandam mais tempo, por exemplo, contribuem ao negócio, o que torna-se essencial para detectar pontos de melhoria e também descobrir onde aplicar os maiores esforços.

Uma ferramenta simples e que serve para avaliar o empreendimento é a análise SWOT. A sigla representa quatro pontos de reflexão sobre a empresa:

  • S – Forças (Strengths): aspectos financeiros que dizem respeito às qualidades internas do negócio, sem depender de fatores externos;
  • W – Fraquezas (Weaknesses): pontos de melhoria, também relacionados ao ambiente interno da empresa;
  • O – Oportunidades (Opportunities): os aspectos do mercado que podem criar oportunidades para a assistência técnica.
  • T – Ameaças (Threats): possíveis mudanças externas que podem prejudicar o planejamento e a gestão financeira do negócio.

A análise SWOT pode ser aplicada em reuniões de equipe financeira. Uma dica é dividir um quadro ou uma cartolina em quatro seções, uma para cada letra (S, W, O e T), preenchendo dentro de cada quadrante as ideias que forem sendo discutidas.

Depois, cada um dos pontos pode servir como base para uma revisão do planejamento financeiro.

A gestão de uma assistência técnica está intrinsecamente conectada a um bom planejamento financeiro. Porém, para além das ferramentas apresentadas, é fundamental que haja colaboração de todos na sua utilização e manutenção.

Conheça o Gravíttem agora mesmo e saia na frente de seus concorrentes. Entre em contato pelo telefone (47) 3437-3312, WhatsApp (47) 99154-2861 ou pelo e-mail comercial@softin.com.br para saber mais.

Gostou desse artigo? Espalhe a palavra :)

Eric Montana

Formado em Publicidade e Propaganda, amante de livros e um bom café.